Roberto Santiago
Textos e reflexões
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos

 
JOSÉ SANTIAGO


Patriarca da família Santiago chegou a Salinas em 1898



Natural do município mineiro de Diamantina, José Santiago (1873-1944) chega ao município norte-mineiro de Santo Antônio de Salinas (atual municípío de Salinas) em 1898 com sua esposa Virgínia Celestina Santiago (1882-1965) para ser professor. Assim, se inicava a saga da família Santiago em Salinas.

José Santiago nasceu no dia 1º. de novembro de 1873, final do século XIX. É filho de Justino Santiago e Anna Maria de Jesus. Em 1894, aos 21 anos de idade, foi estudar medicina em Salvador, Bahia. Após dois anos desistiu do curso não se sabendo o motivo. Comenta os mais antigos da família Santiago que o motivo foi a Guerra de Canudos (1896-1897), mas não há uma prova contundente, ficando somente na hipótese.

Em 1896 retornou para Minas Gerais na cidade de Medina, Vale do Jequitinhonha, onde conheceu e se casou com Virgínia Celestina em 1896. Em 1898 chega ao município de Santo Antônio de Salinas. Dois anos depois, em 1900, sai da cidade de Salinas e se muda para a zona rural do município no povoado de Lagoinha, distante 25 quilômetros, para também ser professor atendendo convite de um amigo.

O povoado de Lagoinha naquela época tinha posição estratégica na ligação entre Salinas e Montes Claros, pois a estrada que ligava os dois centros passava no povoado. Era parada obrigatória de tropeiros e viajantes, favorecendo o surgimento de aglomeração urbana de certa envergadura para a época.

O povoado de Lagoinha era promissor em face de sua localização estratégica. O fato atraiu a atenção de José Santiago e entendeu que ali poderia trabalhar e sustentar sua família.

Fixou raízes no povoado e três anos depois, em 1903, comprou uma propriedade rural (fazenda Bomfim) bem próximo ao povoado. Ali criou uma prole numerosa, doze filhos. Todos os seus filhos nasceram na propriedade rural, exceto o primogênito nascido em Medina, Vale do Jequitinhonha, onde havia se casado no dia 11 de junho de 1896 com Virgínia Celestina, natural de Urandi, Bahia.

Os filhos do casal foram: Antônio Santiago (1897-1950), Maria Santiago (1899-1953), Leôncio Santiago (1901-1945), Silvio Santiago (1903-1986), Alzira Santiago (1905-1996), Santinha Santiago (1908-2001), Arlindo Santiago (1909-2011), Anísio Santiago (1912-2002), José Elzito Santiago (1915-1945), Anita Santiago (1913-2008), Osvaldina de Abreu Santiago (1917) e Osvaldir Santiago (1919-2007).


José Santiago foi espécie de líder no povoado de Lagoinha. Era pessoa culta, dominava diversas línguas estrangerias (latim, espanhol, francês e inglês) e tinha conhecimentos sólidos de medicina, pois estudara em Salvador, embora não tenha concluído o curso. Como não havia médicos na região naquela época, ele era muito procurado pelas pessoas doentes.

Ainda hoje, na fazenda Bomfim, cujo proprietário atual é o filho Arlindo Santiago, que completou 100 anos no dia 25 de maio de 2009, possui muitos livros antigos, muitos da época do Império.

José Santiago faleceu em 1944 e foi enterrado no cemitério do povoado de Lagoinha. Foi homem simples, honrado e extremamente culto, fato incomum no sertão salinense. É o patriarca da família Santiago e responsável pelo surgimento de uma das famílias mais tradicionais de Salinas.

Texto escrito em homenagem ao meu bisavô José Santiago.
__________
Autor do texto:
Roberto Carlos Morais Santiago
Enviado por Roberto Carlos Morais Santiago em 06/05/2010
Alterado em 19/05/2013
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários